A Paixão Segundo G.H., de Clarice Lispector

A paixão segundo G.H é uma obra que foge da aos padrões de um romance convencional, aparentemente possui um enredo banal, mas ao longo da narrativa essa possível banalidade é apresentada de uma forma tão real que o leitor sente-se inserido nela. Uma das características do não convencional nesta obra é justamente a personagem-narradora, ela não tem nome e é chamada apenas pelas iniciais G.H. A inquietude da personagem, as preocupações emocionais e a instabilidade com o seu próprio eu, são o ponto alto para que a personagem passe por um processo de total introspecção.

Numa determinada manhã G.H. resolve fazer uma arrumação em sua casa, e inicia pelo quarto da empregada que não mais trabalhava para ela, ao entrar no quarto, se surpreende, pois imaginara que encontraria tudo bagunçado, no entanto, é tomada por uma enorme surpresa ao encontrar tudo em ordem. Ela se depara com uma barata que havia saído do armário, e imediatamente a esmaga com a porta do armário. Diante dela, estava aquela barata morta, sem a casca jorrando uma secreção branca.

Essa visão causa-lhe uma profunda náusea, a partir daí, ela passa a avaliar sua existência e conclui que já não era mais a mesma. Ela toma consciência de sua profunda solidão e passa a questionar toda sua vida. Tomada pelo nojo do inseto, a personagem não só se aproxima como dá a entender que provara daquela secreção, este ato extremo é a reviravolta que G.H. dá ao seu mundo que antes era de total condicionamento. É a revelação de sua fragilidade e da condição humana como um todo. A personagem-narradora para no tempo ao fazer os relatos e parafraseando e parodiando versículos bíblicos tenta dar uma entonação de verdade àquilo que está revelando, desta forma, fica evidente essa busca do ser através do universo religioso, o qual é trazido pela personagem de forma simbólica, ela se apropria de tais símbolos e os utiliza de forma relativizada e aparentemente irônica.

A paixão segundo G.H. é uma obra que mostra um grande trabalho de coesão, cada capítulo começa com a repetição da última frase do capítulo anterior, transformando a interrupção em um processo de constante continuidade.  É uma prosa com características de um monólogo na qual a personagem-narradora levanta questões sobre a vida, sobre o amor, o papel do tempo, passado e futuro, passando por indagações sobre como o ser Deus pode influenciar nas escolhas que o homem faz. Esta obra de Clarice Lispector é destinada a qualquer pessoa que tendo inquietudes e questionamentos quanto à sua própria existência, possa rever seus sentimentos, suas atitudes e seus valores, o leitor poderá assim como G.H. buscar algum sentido para sua vida.

__________

Sobre a autora: Tatiane Alcantara Silva, acadêmica do Curso de Letras com Habilitação em Língua Inglesa e respectivas Literaturas pelo Centro Universitário Jorge Amado – Salvador/BA.
Facebook: http://www.facebook.com/tat.alcantara

Indique Um livro
Estas resenhas foram elaboradas pelos colaboradores do Indique um Livro ou enviadas por um leitor. Os créditos estão dados ao final do texto. O Indique um Livro é um projeto Literatortura.

Deixe uma resposta