“O Clube Dante”, de Matthew Pearl

Sinopse: Os gênios literários do Clube Dante – os poetas e os professores de Harvard Henry Wadsworth Longfellow, dr. Oliver Wendell Holmes, James Russell Lowell e o editor J. T. Fields – estão terminando a primeira tradução americana de A divina comédia e se preparam para revelar as incríveis visões de Dante Alighieri para o Novo Mundo. Os poderosos Brahmins de Boston em Harvard estão lutando para manter Dante na obscuridade, pois acreditam que a infiltração de superstições estranhas nas mentes dos americanos serão tão nefastas quanto os imigrantes chegando ao porto de Boston. Os membros do Clube Dante precisam lutar para manter viva sua sagrada causa literária, mas seus planos fracassam quando uma série de mortes acontece por toda Boston e Cambridge. Apenas esse seleto grupo de acadêmicos sabe que os sórdidos crimes são planejados a partir das descrições das punições do Inferno de Dante. Com a polícia atônita, vidas correndo perigo e o futuro literário de Dante em xeque, o Clube Dante precisa abandonar sua reclusa existência literária e encontrar uma maneira de agarrar o assassino.

Vocês já devem saber que eu sou uma pessoa apaixonada pela Divina Comédia, e se tem algo que eu amo tanto quanto o Chuck Palahniuk é o grande Dante Alighieri e toda a sua viagem pelo inferno até encontrar a sua Beatrice Portinari no paraíso!

A Divina Comédia, foi uma obra escrita originalmente em italiano no século XIVe é dividido nos livros Inferno, Purgatório e Paraíso. Dante provou que seu idiota, o fiorentino que era considerado uma língua vulgar era sim adequada para algo do tamanho do que virou a grande obra desse poeta.

Mas nem tudo são flores, e mesmo depois de muito tempo da publicação do original “Commedia” muitos professores e estudiosos sofriam contra as “mentes mais clássicas”. E esse é um dos planos de fundo do livro.  É por aqui que o autor começa a nos contar a trama de O Clube Dante. Onde os professores Henry Wadsworth Longfellow, James Russell Lowell e Oliver Wendel Holmes estão tentando traduzir “A Divina Comédia” de Dante, mas estão sofrendo represaria de Harvard por não buscar algo do Latim ou Grego.

DSCF3418

Só que os poetas, professores e estudiosos que estavam apenas traduzindo A Divina Comédia nas noites tranquilas de Boston acabam se tornando sombrias por misteriosos assassinatos que começam a acontecer e que por acaso tem algo que liga os assassinatos, a tradução da Divina Comédia.

Contar muita coisa é spoiler, então vou me perder no que interessa que é o estilo de Matthew, ele tem um estilo mais rebuscado, detalhado e caprichado. Parece um autor velho e não um rapaz bonito – okay, talvez não tão bonito assim –  mas esse é o seu estilo, o autor gosta de misturar a literatura na sua obra, assim como aqui, ele também escreveu ” The Poe Shadow” e “The Last Dickson”.

O livro é muito interessante, te prende e te deixa intrigado, e tem algumas passagens profundamente nojentas – e o autor tem uma fixação por insetos, ou por moscas para ser mais exata. Estômagos fracos vão se sentir mal em algumas partes do livro. E eu, que sou uma pessoa que não é normal e gosta de coisas mais feias, senti nojo naquela parte.

O Clube Dante poderia ser menor, ter menos descrições tão rebuscadas e ser um pouco mais dinâmica. É um livro que vale a pena, mas é preciso ter coragem, vontade, estomago forte e tempo. Sem pressa, aprecie e aproveite… sem moderação!

E como já falei antes em alguma outra resenha que falei de Dante, se você já leu ou conhece a Divina Comédia, vai conseguir compreender e captar o livro de uma forma muito maior. E o mais incrível. Isso é falado no final do livro, mas se você for pesquisar alguns dos personagens aqui narrado, principalmente os professores principais são reais e realmente tinham um grupo de estudos sobre dante chamado O Clube Dante. O quão legal isso é? Só por esse ponto, já da vontade de saber mais sobre a história!

1388120_502108649884922_175882460_s

Resenha por: Anna Schermak

Pausa Para um Café
O Pausa para um café é um blog feito para você ler durante aquela pausa para o cafezinho, seja no trabalho, em casa, durante a folga da faculdade. Ele foi criado em outubro de 2010 com posts que tentam trazer um papo diferente e as vezes coisas que nos fazem parar, pensar e discutir um pouco.
http://pausaparaumcafe.com.br

Deixe uma resposta