Indique um Autor: Vinícius de Moraes

Vinicius de Moraes, (Rio de Janeiro19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro9 de julho de 1980)

Vinícius de Moraes, poeta, cantor e compositor brasileiro, muito conhecido por canções ao lado de Tom Jobim, como Garota de Ipanema e Chico Buarque, como Valsinha. Conhecido por sempre estar ao lado de seu whisky e por ser um grande amante das mulheres – foi casado oito vezes – possuí uma sensibilidade a flor da pele. Suas obras líricas, as mais famosas, tornaram-se espécies de hinos para os relacionamentos amorosos, como o Soneto da Separação ou Soneto da Fidelidade. No entanto, ele também se aventurou por outros campos, como crônicas, breves textos e, inclusive, peças teatrais. O Indique um Livro reuniu 5 obras de Vinícius de Moraes para você conhecer e poder, se quiser, se aprofundar mais em sua obra. Confira:

 

Antologia Poética, de Vinicius de Moraes

A obra é uma miscelânea de toda a obra de Vinicius. Tudo o que tem de melhor em sua rica produção poética. No início de minha edição, até mesmo há a advertência de uma divisão cabível da obra. A primeira é transcendental, por vezes mística. Dela, vários poemas se destacam. Ilha do Governador, O poeta e Solilóquio são alguns dos meus preferidos. Porém, o que sempre me chamou mais a atenção foi Sonata do amor perdido. A intensidade do texto é muito profunda. Dividido em  dois lamentos e um intermédio, Vinicius consegue passar ao leitor toda sua dor, juntamente com o misticismo proposto pela sua fase.

Já a segunda parte, que possui alguns dos poemas mais famosos de Vinicius, mostra uma aproximação do poeta com o mundo material e a difícil adaptação e a repulsa nos primeiros contatos. Aqui não há como falar apenas de apenas um dos textos. O primeiro a chamar a atenção é o Soneto de fidelidade. A primeira estrofe é um clássico da literatura e consegue, de uma maneira quase mágica, transmitir todo o sentimento possível e uma exaltação ao amor.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/10/10/antologia-poetica-de-vinicius-de-moraes/

Por  Matheus Mans Dametto

 

Para viver um grande amor, de Vinícius de Moraes

Para viver um grande amor, publicado pela primeira vez em 1962, é uma coletânea que alterna crônicas e poemas selecionados pelo próprio Vinicius de Moraes. As crônicas foram quase todas escritas para o jornal Última Hora entre 1959 e o ano de publicação do livro, enquanto os poemas se estendem por um período mais extenso – o mais antigo dentre os que têm data é de 1939. Vinicius abre o volume com um prefácio intitulado Advertência, em que avisa o leitor que aquele é seu primeiro livro de prosa (ainda que mesclada de poemas), como se pedisse desculpas por qualquer falha que suas crônicas possam vir a ter.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/10/11/para-viver-um-grande-amor-vinicius-de-moraes/

Por Julia Romeu

Para uma menina com uma flor, de Vinicius de Moraes

Para uma menina com uma flor é uma coletânea de crônicas de Vinicius de Moraes escritas entre 1941 e 1966. É um grande achado. Conhecemos Vinicius como poeta e músico. Porém, esta aqui é mais uma de suas facetas: cronista. Algumas são líricas, outras beiram à prosa poética e ao conto ou possuem um tom cômico e leve sobre o cotidiano carioca. Mas é interessante perceber que a coletânea também se faz por memórias do autor e críticas sociais.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/10/10/para-uma-menina-com-uma-flor-de-vinicius-de-moraes/

Por Marina Franconeti

A Arca de Noé, de Vinicius de Moraes

O clássico infantil “A Arca de Noé” traz consigo a difícil tarefa de análise. Esta obra fez e faz parte da vida de milhares de pessoas e, ao ser revisitado, tem o poder de viagem no tempo. Remete à infância de forma nostálgica e carrega consigo uma nova descoberta a cada vez em que é lido.
Conhecidos nas vozes de Chico Buarque,Milton NascimentoToquinhoMarina Lima e Ney Matogrosso, os 32 poemas reunidos no livro são ricos nos jogos de palavras, na musicalidade e, claro, são repletos da genialidade de Vinicius. São essas características que dão mais do que qualidade aos escritos: concebem a eles a imortalidade.

Leia a resenha completa: http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/10/13/a-arca-de-noe-vinicius-de-moraes/

Por Ana Martins

As Feras, de Vinícius de Moraes

A peça teatral As Feras (1966) do poetinha é uma tragédia em três atos que conta a história do casal de nordestinos Francisco e Maria José. Com a seca, Francisco pega um dinheiro emprestado e vai para o Rio de Janeiro tentar um emprego e uma casa, para, quem sabe, trazer a esposa e o filho para uma vida na cidade grande. O rapaz pede a seu tio Tomé de Paula para cuidar da mulher e do menino. O tio, no entanto, ao levar comidas para a moça, lhe dá uma grande quantidade de bebidas e leva-a para cama. Francisco recebe a notícia e começa a oscilar entre o perdão e a vingança.

Leia a resenha completa: http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/10/05/as-feras-vinicius-de-moraes/

Por Luiz Ribeiro

Luiz Antonio Ribeiro
Formado em Teoria do Teatro pela UNIRIO, mestrando em Memória Social na área de poesia brasileira e graduando do curso de Letras/Literaturas. É adepto da leitura, pesquisa, cinema, cerveja, Flamengo e ócio criativo. Em geral, se arrepende do que escreve. Facebook: http://www.facebook.com/ziul.ribeiro Twitter: http://www.twitter.com/ziul

Deixe uma resposta