Os 10 livros mais desejados da editora WMF Martins Fontes (segundo nossos leitores)!

Em pouco mais de três anos, o Indique um Livro já possui uma longa relação com diversas editoras. Uma delas é a sensacional WMF Martins Fontes. Lemos e resenhamos os principais lançamentos da editora ao longo desse tempo, assim como os já clássicos populares e teóricos, e resolvemos listar os livros que mais chamaram atenção de nosso público. Confira a lista com as 10 resenhas mais lidas de livros da Editora WMF Martins Fontes em nosso site!

 

1- Mídia – Propaganda política e manipulação, de Noam Chomsky

Em Mídia – Propaganda política e manipulação, Chomsky baseia-se na crucial pergunta que inicia o livro: “em que tipo de mundo e de sociedade queremos viver e, sobretudo, em que espécie de democracia estamos pensando quando desejamos que essa sociedade seja democrática?”. Partindo deste ponto, o teórico nos apresenta duas formas de democracia – uma delas, de acordo com a definição do dicionário: igualitária e livre; a outra, a que acontece na prática. Resta saber se estas duas coincidem. Parece que não.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2014/07/18/midia-propaganda-politica-e-manipulacao-de-noam-chomsky/

Por Ana Martins

2- O museu desaparecido – A conspiração nazista para roubar obras-primas da Arte Mundial, de Héctor Feliciano

O livro prende a atenção através de uma escrita caracterizada como jornalismo de investigação. Para amantes de história como eu, é um prato cheio muito saboroso, para ser degustado sem pressa. A obra de Héctor rendeu uma indicação no importante prêmio Pulitzer na categoria de literatura de não-ficção. Sua primeira edição foi na França e foi lançado nas terras brasileiras pela editora WMF Martins Fontes em novembro de 2013. Além do Brasil e da França, a obra foi publicada na Alemanha, Itália, Inglaterra, Argentina. Coréia, Japão e Espanha Suas 384 páginas exigem um leitor atento e que já tenha um pré-conhecimento sobre os acontecimentos da Segunda Guerra Mundial

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2014/03/30/o-museu-desaparecido-a-conspiracao-nazista-para-roubar-obras-primas-da-arte-mundial-hector-feliciano/

Por Ana Idris

3- História do Mundo Grego Antigo, de François Lefèvre

 História do Mundo Grego antigo é, sem sombra de dúvida, um grande início para qualquer um que queira ter um vislumbre desde a antiguidade grega até os dias atuais, não sendo determinista com as variações cronológicas de diferentes estudos.

“A única pretensão deste livro é ser útil ao público, oferecendo-lhe uma introdução cômoda e tão completa quanto possível sobre a Grécia antiga”

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2014/01/16/historia-do-mundo-grego-antigo-francois-lefevre/

Por Patrick Wesolowsky

4- Krabat, de Otfried Preussler

sta é uma história que envolve suspense e magia num cenário que a princípio não parece nada assustador. Apesar de ser, na maior parte do tempo um suspense, de tempos em tempos a história se faz humorada.

Krabat e seus dois amigos são pedintes que ganham trocados por sua atuação como reis magos, andando de cidade em cidade. Em uma noite ele começou a ter um sonho estranho que o convidava, digo, o ordenava a partir em direção ao moinho de Schwarzkollm. Um sonho que se repetia por várias e várias vezes até que ele decide obedecer a ordem e seguir sozinho até lá.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2014/05/04/krabat-otfried-preussler/

Por Patrick Wesolowsky

 

5- Além do Planeta Silencioso, de C. S. Lewis

A história é sobre Elwin Ransom, um filólogo que acaba, por acidente, entrando no jardim de um antigo conhecido da escola. Esse conhecido acaba por capturar Ransom, levando-o para uma viagem cósmica para conhecer um novo planeta: Malacandra. Chegando lá, o filólogo acaba por conhecer uma sociedade de animais excêntricos e que se baseiam em uma ordem social muito interessante.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2014/02/18/alem-do-planeta-silencioso-de-c-s-lewis/

Por Matheus Mans

6- O Hobbit, de J. R. R. Tolkien

Neste livro, o hobbit Bilbo Bolseiro vivia uma vida confortável e pacata no Condado. Assim como todos os hobbits, ele era frágil, gentil, gostava de fumar, de comer, de organizar festas e receber amigos. Porém, também era implicante e não gostava de surpresas ou visitas inesperadas.

Sua vida mudou forma considerável no dia em que recebeu a visita do mago Gandalf, que o convidou para viver uma aventura. Ele, fazendo jus à natureza dos hobbit, rejeitou o convite.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/09/20/hobbit-j-r-r-tolkien/

Por Isabela Lapa

7- Árvore e Folha, de J.R.R. Tolkien

Este livro é dividido em duas partes: na primeira, temos um ensaio de Tolkien sobre contos de fadas; na segunda, um breve e admirável conto.

O ensaio também é subdividido em algumas partes, cada uma abordando uma das sequências da linha de raciocínio do autor sobre o tema. Ele inicia o ensaio comentando sobre algumas características do Reino Encantado (Faerie), ao qual, segundo ele, estão diretamente conectados todos os legítimos contos de fadas. Então, o autor segue inserindo as questões às quais pretende discutir e responder no decorrer do ensaio, que vão desde o que determina se um conto é ou não um conto de fadas, a origem deles, sua razão de existir, entre outros.  Ele inclusive questiona o fato de contos de fadas serem frequentemente direcionados a crianças, fato com o qual expõe seus motivos para discordar.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2015/05/03/arvore-e-folha-de-j-r-r-tolkien/

Por Amanda Leonardi

8- O escafandro e a borboleta, de Jean Dominique Bauby

Jean nos narra suas impressões a respeito da vida no hospital, o trauma do acidente vascular cerebral, a síndrome do encarceramento, sua agonia em não poder tocar seu filho ou simplesmente espantar uma mosca inquieta que pousa sobre seu rosto. Jean não pode sequer relatar uma dor, mudar o canal da televisão, desviar o sol que ultrapassa a cortina do seu quarto e atinge seus olhos, comer o que sente vontade e todas aquelas atividades cotidianas que nos soam tão banais. Jean narra estas limitações com o desespero de quem não pode nem mesmo gritar para demonstrar o quanto aquela situação é angustiante.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/11/05/o-escafandro-e-a-borboleta-de-jean-dominique-bauby/

Por Kellen Pavão

9- Cartas de um diabo a seu aprendiz, de C. S. Lewis

As Cartas escritas pelo autor d’As crônicas de Nárnia apresentam a irônica correspondência entre o diabo Metafuso e seu sobrinho Vermebile; como são cartas e uma das características da carta é que ela sempre apresenta apenas uma das duas partes do diálogo, os relatos de Vermebile não constam na obra senão pela síntese das suas ideias contidas nas Cartas escritas por Metafuso.

Leia a resenha completa:

http://indiqueumlivro.literatortura.com/2014/10/25/cartas-de-um-diabo-a-seu-aprendiz-de-c-s-lewis/

Por Francisco Venâncio

10- O Despovoador/ Mal Visto Mal Dito, de Samuel Beckett

O Despovoador/ Mal Visto Mal Dito de Samuel Beckett, edição da Editora WMF Martins Fontes é uma coletânea de dois textos em prosa tardios do autor, escritos respectivamente em 1970 e 1981. A obra mantém o caráter das principais obras do escritor: uma forte característica de choque e ironia, compondo uma literatura da despalavra, em que a linguagem revela a própria nudez ao ser incapaz de produzir os acúmulos necessários para que a narrativa avance. Paralisada, ela circula por dentro de si e segue errantemente pelos espaços textuais construídos por Beckett.

Leia a resenha completa:
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/11/08/o-despovoador-mal-visto-mal-dito-de-samuel-beckett/

Por Luiz Ribeiro

Postado em 07/07/2015

Luiz Antonio Ribeiro
Formado em Teoria do Teatro pela UNIRIO, mestrando em Memória Social na área de poesia brasileira e graduando do curso de Letras/Literaturas. É adepto da leitura, pesquisa, cinema, cerveja, Flamengo e ócio criativo. Em geral, se arrepende do que escreve. Facebook: http://www.facebook.com/ziul.ribeiro Twitter: http://www.twitter.com/ziul

Deixe uma resposta