8 lançamentos baseados em Alice no País da Maravilhas que ainda não chegaram no Brasil

[Postado por Bookbub]

No dia 26 de Novembro de 2015 foi comemorado 150 anos do lançamento de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll. O que ninguém poderia imaginar – muito menos o autor – é que sua obra chegaria tão longe, com tantas versões e adaptações através desses anos. Neste últimos meses, 8 lançamentos com versões/adaptações da obra chegaram às livrarias mundiais. Tratam-se de obras incríveis que, em breve, devem estar em nossas livrarias no Brasil. Confira:

Alice by Christina Henry

Alice by Christina Henry

Em um labirinto de ruínas, edifícios e pessoas desesperadas chamado Old City (Cidade Velha), ergue-se um hospital com paredes de “cinderblock” que ecoam os gritos de pobres almas dentro.
No hospital, existe uma mulher. Seu cabelo, uma vez louro, desce emaranhado pelas costas. Ela não se lembra por que está neste lugar tão terrível. Ela vê apenas um chá, lá a bastante tempo, duas orelhas longas e sangue…
Então, uma noite, um incêndio no hospital dá à mulher uma chance de escapar, caindo para fora do buraco em que estava presa, deixando-a livre para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com ela durante todos aqueles anos.
Só outra coisa escapou com ela. Algo escuro. Algo poderoso.
E para encontrar a verdade, ela vai ter que levar esta fera para o coração da Cidade Velha, onde o coelho espera seu Alice.

Alice I Have Been by Melanie Benjamin

Alice I Have Been by Melanie Benjamin

Poucas obras da literatura são tão universalmente amadas como Alice no País das Maravilhas. Agora, neste romance histórico fascinante, vemos uma jovem cujo espírito brilhante enviada em uma viagem inesquecível no buraco do coelho como uma mulher adulta cuja história não é menos fascinante.

– Mas oh minha querida, estou cansada de ser Alice no país das maravilhas. Isso soa ingrato?

A história original, um conto selvagem de coelhos, rainhas e uma criança precoce, torna-se uma sensação em todo o mundo. Paralelamente, neste romance, como a infância de Alice escapa pelas suas mãos, o que vemos é um romance real abrindo caminho para a maré urgente da guerra.
Para Alice, os riscos não poderiam ser maiores: mãe de três filhos crescidos, soldados todos. Entratanto, mesmo quando prestes a perder tudo que mais valoriza, uma parte dela será sempre determinada – aí temos a Alice destemida da história – a descobrir que a vida além do buraco do coelho pode ser também uma viagem surpreendente.
Uma história de amor e um mistério literário, Alice I Have Been combina de forma brilhante fato e ficção para capturar o espírito apaixonado de uma mulher verdadeiramente digna de seu alter ego ficcional, em um mundo tão cativante como Wonderland.

After Alice by Gregory Maguire

After Alice by Gregory Maguire

Quando Alice caiu pela da toca de coelho, há 150 anos, ela encontrou um mundo de maravilhas repleto de regras inconsistentes e pessoas individualistas tal qual o mundo que ela deixou para trás. Mas o que pensar desse mundo?

Nesta brilhante obra de ficção, Gregory Maguire transforma sua imaginação deslumbrante para a questão dos submundos, undergrounds, transformando com sua mente inventiva  o texto eternizado por Carroll. Ada, um amiga mencionada brevemente por Alice está de folga para visitar seu amigo, mas chega um pouco atrasada e cai no buraco que leva à terra de Alice.

Ada traz ao país das maravilhas sua próprio apreensão imperfeita de causa e efeito. Vemos como ela embarca em uma odisséia para encontrar Alice e vemos como ela faz para se manter segura dentro deste mundo surreal. Se Eurydice pode nunca ser devolvida aos braços de Orfeu, ou Lázaro pode ser levantado do túmulo, talvez Alice possa ser devolvida à vida. De qualquer forma, tudo o que acontece em seguida é “Depois de Alice.”

Her Mad Hatter by Marie Hall

Her Mad Hatter by Marie Hall

Alice está crescida. Chefia as lanchonetes “Mad Hatters Cupcakery” e “Tea Shoppe”, com cuidado de quem possui um delicioso trabalho. Até que o destino – e uma fada madrinha com uma fraqueza para os meninos maus – a joga em uma buraco. Agora, Alice é a mais nova residente do país das maravilhas, onde precisa lidar com esses meninos maus e suas fantasias e emoções de seu corpo adulto.
The Mad Hatter pode ter uma voz e um corpo feito para o sexo, mas ele não possui amantes. Agora, como o desejo e a loucura se encontram, o Chapeleiro deve decidir se vai lutar com os desejos da fada madrinha – ou lutar por Alice.

White Rabbit Chronicles by Gena Showalter

The White Rabbit Chronicles by Gena Showalter

Se alguém tivesse dito a Alice que toda a sua vida iria mudar de rumo entre um batimento cardíaco e outro, ela teria rido. Mas isto realmente aconteceu. Em um piscar de olhos. Um piscar de olhos, uma respiração, um segundo, e tudo o que ela conhecia e amava se foi.

Seu pai estava certo. Os monstros são reais.

Para vingar sua família, Ali deve aprender a lutar contra os mortos-vivos. Para sobreviver, ela deve aprender a confiar no pior dos bad boys, Cole Holland. Mas Cole tem segredos próprios, e se Ali não for cuidadosa, esses segredos podem ser mais perigosos do que os próprios zumbis.

Splintered Trilogy by A.G. Howard

Splintered trilogy by A.G. Howard

Esta estréia impressionante captura a loucura grotesca de uma mística sub-terra, bem como dores de uma menina frente ao primeiro amor. Alyssa Gardner ouve os sussurros de insetos e flores – exatamente a aflição que tomou sua mãe em um hospital psiquiátrico anos antes. Esta maldição da família remonta ao seu antepassado Alice Liddell, a verdadeira inspiração para a criação das aventuras da Alice de Lewis Carroll.

Quando a saúde mental de sua mãe dá uma guinada para o pior, Alyssa aprende que o que ela achava que era ficção é baseada em uma realidade aterrorizante. O verdadeiro país das maravilhas é um lugar muito mais escuro e mais complexo do que Lewis Carroll deixou transparecer. Lá, Alyssa deve passar por uma série de testes, incluindo a drenagem de um oceano de lágrimas de Alice, acordando na festa do chá adormecida, entre outras aventuras. Ela também deve decidir em quem confiar: Jeb, sua melhor amiga e paixão secreta, ou Morpheus, seu guia através das Maravilhas?

The Looking Glass Wars by Frank Bedder

The Looking Glass Wars trilogy by Frank Beddor

O Mito: Alice era uma garota comum que pisou através do espelho e entrou em um mundo de conto de fadas inventado por Lewis Carroll em seu famoso livro de histórias. A Verdade: Wonderland é real. Alyss Heart é a herdeira do trono, até que Redd rouba a coroa e tenta matar Alyss. Para escapar de Redd, Alyss e seu guarda-costas, Hatter Madigan, devem fugir para nosso mundo. Perdida e sozinha na Londres vitoriana, Alyss faz amizade com um autor aspirante a quem ela conta a história violenta e comovente de sua jovem vida. No entanto, ele começa a história de forma errada: Hatter Madigan sabe a verdade muito bem, e ele está procurando todos os cantos do nosso mundo para encontrar a princesa perdida e devolvê-la ao país das maravilhas.

8

Insanity series by Cameron Jace

Depois de matar acidentalmente todos em sua classe, Alice Wonder é agora um paciente no Radcliffe Lunatic Asylum. Ninguém duvida de sua insanidade. Apenas um professor acredita no contrário; que ele pode provar a sua sanidade pela decodificação pinturas, fotografias de Lewis Carroll, e encontrar verdadeira paradeiro do mundo das maravilhas. Professor Caterpillar convence o asilo que Alice pode salvar vidas e pegar os monstros agora reencarnado em modernos criminosos do cotidiano. A fim de fazer isso, Alice leva uma vida dupla: um estudante da Universidade de Oxford durante o dia, uma menina louca num hospício durante a noite. A linha entre sanidade e insanidade dilui quando ela conhece Jack Diamond, um estudante universitário arrogante que acredita que o absurdo é uma ciência real.

Fonte: https://media.bookbub.com/blog/2015/11/23/alice-in-wonderland-retellings/

Luiz Antonio Ribeiro
Formado em Teoria do Teatro pela UNIRIO, mestrando em Memória Social na área de poesia brasileira e graduando do curso de Letras/Literaturas. É adepto da leitura, pesquisa, cinema, cerveja, Flamengo e ócio criativo. Em geral, se arrepende do que escreve. Facebook: http://www.facebook.com/ziul.ribeiro Twitter: http://www.twitter.com/ziul

Deixe uma resposta