Para resenhar um livro para o nosso site, envie o texto em WORD com a partir de 100 palavras para o nosso e-mail: indiqueolivro@gmail.com . Título e nome do autor. Uma pequena biografia sobre você e, se tiver e quiser, links de contato (blog, e-mail, facebook, twitter etc).

One thought on “ENVIE SUA RESENHA!

  1. Este cidadão Agente de Segurança Penitenciária, lotado na Penitenciária de Irapuru e residente em Presidente Prudente, Anderson Gimenes, te faz o convite para o evento de lançamento da sua obra literária “Diário de um Agente de Segurança Penitenciária” que estará ocorrendo às 20:00 horas do dia 15/01/2016, no Centro Cultural Matarazzo, lotado na Rua Quintino Bocaiuva – 749 – Vila Marcondes – Presidente Prudente – SP. Esta obra relata em suas páginas 8 anos da história de um jovem que, durante seu processo de formação em Licenciatura plena em Geografia, por dificuldades financeiras, após prestar e ser aprovado em concurso público, abandonou a tudo e a todos, e partiu rumo à Grande São Paulo, para exercer a sua nova profissão “Agente de Segurança Penitenciária”. De início no novo ambiente, se mostrou em pânico e um ignorante no assunto, mas que no dia a dia obteve a sua experiência profissional, que hoje lhe proporciona ser um crítico do sistema carcerário, de sua administração pública comissionada e do Governo do Estado de São Paulo, ser também alguém que consegue indicar métodos para a solução dos problemas citados, mostrando sempre a realidade, com uma pitada da história pessoal, deste profissional, tão necessário mas tão pouco valorizado pela sociedade e pelo Estado. Venha prestigiar este evento em apoio a este novo escritor, pois diz ele que em retribuição, todos que saírem deste evento com um livro em mãos saberão “imaginar-se dentro desta realidade e verás como é difícil sem o apoio necessário do Estado, ser o Agente principal na prestação das assistências: material, educacional, religiosa, social, saúde e jurídica, durante o cumprimento da sentença que busca a reinserção social, de um cidadão condenado pela Justiça, como impróprio ao convívio social e ao prestar tais assistências preservar sempre pelas suas integridades física, mental e moral. Sei que o sistema é falho e por muitas vezes não colabora para a reeducação dos sentenciados, mas também vejo que estes mesmos indivíduos, não pretendem se reeducarem e que só pensam em voltar às ruas e cometerem as mesmas atrocidades já antes cometidas e se possíveis em maiores proporções. Pois ao sair de um presídio, o “reintegrado” tem em suas mãos o diploma da “Faculdade do Crime”.

Deixe uma resposta